(27) 3320-5050 | sac@lojasblink.com.br |   Seg. a Sex. 08:00 às 18:00

Uniformes e EPIs | Entenda a diferença entre cada um deles

por | maio 29, 2020

Entenda a diferença entre uniformes e EPIs

A importância do uniforme profissional vai além de uma boa comunicação, já que a relação segurança e custo/benefício na compra de roupas para trabalhar para colaboradores é algo totalmente favorável a cada um deles.

No entanto, quando se pensa em uniformes e EPIs, é comum gerar certa confusão sobre as diferenças entre eles. E saber quais são é essencial para não gerar consequências na hora de uniformizar a equipe como erros de comunicação entre empresa contratante e empresa contratada, especificações técnicas, problemas com a legislação vigente, entre muitos outros.

De forma geral, o objetivo dos uniformes profissionais é causar uma boa impressão do público externo em relação à imagem da empresa, enquanto os EPIs é proteger o trabalhador ou parte dele. Veja a seguir, a diferença entre uniformes e EPIs!

Uniformes

O uniforme profissional é utilizado não apenas para identificar os colaboradores de uma empresa, mas também contribui para maior visibilidade da marca e engajamento da equipe. Esse tipo de roupa deve ser confortável e acompanhar as cores da empresa, harmonizando a identidade visual e trazendo mais mobilidade aos usuários. No entanto, o uniforme social não é uma vestimenta criada para proteger o funcionário. Por isso, é mais indicado para cargos de atendimento, por exemplo.

Em resumo, os uniformes profissionais são utilizados para identificar os membros de uma empresa e/ou organização, que por sua vez, cria uma identidade visual e constrói reconhecimento da marca.

Eles têm o papel de padronizar, embelezar e trazer conforto ao funcionário, não sendo, necessariamente, usado para conferir proteção e segurança ao usuário contra eventuais riscos.

EPIs

Já os EPIs são equipamentos de segurança de trabalho recomendados por lei, por isso eles seguem normas do Ministério do Trabalho e são obrigatórios em uma série de atividades, principalmente industrias. Dentre os EPIs podemos encontrar: botas, capacetes, protetores auriculares, luvas, óculos, aventais, máscaras, mangotes, botas, cinturões, macacões, calças, casacos, coletes sinalizadores, entre outros.

A escolha deve ser realizada com cuidado, já que todo o EPI equipamento de segurança precisa do Certificado de Aprovação, que é emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, garantindo que ele possua a qualidade necessária para assegurar o trabalhador.

Seu uso é obrigatório para trabalhadores de fábricas, ambientes industriais, área da saúde, e todos os ambientes que podem provocar riscos à saúde e ao bem estar do colaborador, de maneira imediata ou a longo prazo.

Para identificar os tipos de EPIs adequados para cada empresa é preciso do parecer de um profissional de segurança do trabalho. Lembrando que todo EPI deve ter um CA (Certificado de aprovação), emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, onde os trabalhadores poderão ter acesso ao fabricante e a validade do equipamento. (Saiba mais sobre a importância do EPI: equipamento que pode salvar vidas.)

Portanto, nem todo uniforme é uma roupa de proteção ou um EPI, assim como nem toda roupa de proteção ou EPI é um uniforme.

Uso correto de uniformes e EPIs na área da saúde

Os uniformes utilizados na área da saúde devem ser fabricados com tecidos antimicrobianos e em conformidade com as normas da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Além da escolha do tecido, há também recomendações de higiene, regulamentada pela Anvisa. Por isso, é importante a realização da coleta e esterilização dos uniformes, diminuindo ainda mais os riscos de contaminação. Uma das orientações da Anvisa é que o profissional utilize seu jaleco apenas nas dependências do hospital, devendo ser retirado durante o horário de almoço ou demais saídas.

Os EPIs na área da saúde também são tão importantes quanto os uniformes, já que em hospitais, clínicas médicas e odontológicas, centros cirúrgicos, pronto-socorro, unidades básicas e demais ambientes de saúde, os riscos de contaminação são bem mais elevados do que em outros ambientes residenciais, comerciais e industriais.

Para isso, existe uma norma regulamentadora que trata desse assunto: a NR 32 – Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde orientam sobre as medidas de segurança que devem ser tomadas em ambientes dessa natureza. Dentre as medidas, o uso dos equipamentos de proteção individual merece destaque especial. Veja a seguir, a lista dos principais EPIs na área da saúde:

Avental descartável (avental de segurança)

O avental também evita o contato da pele humana com respingos e outras substâncias que possam contaminar o médico, assistência ou enfermeiro.

Luvas e toucas de TNT

As luvas e toucas são essenciais e devem ser utilizadas (modelo descartável) somente uma vez. A cada novo procedimento, uma nova luva deve ser usada e não pode haver o reaproveitamento em hipótese alguma, mesmo que o paciente não mude.

Máscaras respiratórias (máscara descartável)

A máscara de proteção deve ser utilizada em procedimentos que envolvem intubação traqueal, aspiração nasofaríngea nasotraquel, autópsia de tecido pulmonar e broncoscopia.

Óculos de segurança (proteção)

Já os óculos de proteção são fundamentais para proteção aos olhos de respingos de excreções, secreções e mesmo sangue. Tal EPI deve ser lavado após cada procedimento. Referência em uniformes profissionais, a Blink Jeans utiliza tecidos de qualidade na confecção de uniformes médicos e hospitalares. Além de máscaras de proteção e aventais. Entre em contato com nossa equipe de atendimento para mais informações!

Outras Postagens